Segunda Turma do STF mantém Lula preso

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu negar, nesta terça-feira (25), liberdade ao condenado Lula da Silva enquanto não conclui a análise de um pedido de suspeição do ex-juiz e atual ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, apresentado pela defesa do petista.

Por 3 votos a 2, os integrantes do colegiado rejeitaram proposta do ministro Gilmar Mendes para que Lula ficasse em liberdade até a decisão final sobre o habeas corpus.

A análise do mérito da ação sobre a parcialidade de Moro ficou para agosto, porque Gilmar manteve seu pedido de vista. Esta foi a última sessão do colegiado antes do recesso do Judiciário.

Com os votos dos ministros Edson Fachin, Celso de Mello e Cármen Lúcia, a Segunda Turma negou a concessão de uma liminar para soltar o ex-presidente.

O pedido de liberdade foi apresentado pela defesa de Lula no ano passado, quando Moro aceitou o convite do presidente da República, Jair Bolsonaro, para comandar o Ministério da Justiça.

Votaram pela soltura de Lula os magistrados Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski.

Ainda na sessão desta terça, os ministros da Turma negaram, por 4 votos a 1, outro habeas corpus, que questionava decisão do ministro Felix Fischer, relator da Lava Jato no Superior Tribunal de Justiça (STJ).