Rússia prepara corte com a internet mundial

O país planeja se ‘desligar’ da rede mundial maneira provisória, como uma forma de se preparar de um isolamento por parte de outros países. Essa ideia tem como objetivo de testar se o país consegue se manter apenas com a conexão local em casos emergenciais prolongados.

O portal de notícias norte-americano Axios, informou que o teste será realizado até 1º de abril, data essa, que será o limite para que o parlamento apresente emendas à proposta. O programa está sendo chamado de Nacional de Economia Digital.

O governo russo alega que o isolamento é parte de um teste de suas defesas cibernéticas.

O país é presidido por Vladimir Putin, e especialistas creem que o presidente planeja instaurar um controle do Estado sobre a internet doméstica. Seria o primeiro sistema semelhante ao que tem na China, no qual o governo comunista impede o acesso da população a conteúdos tidos como ‘indesejados’ pelo governo.

Michael Daniel, CEO da Cyber Threat Alliance e ex-coordenador de segurança cibernética da Casa Branca, questiona as ameaça citada pelo governo russo e entende que projeto é desafiador pela complexidade de distribuição da internet. E afirmou que: “Como uma questão técnica, eu tenho dificuldade de imaginar como um grupo de nações poderia isolar completamente a Rússia”. Daniel disse ainda que “Realmente, este movimento seria sobre a Rússia querer ter as mesmas capacidades da China, para poder controlar o fluxo de informações para dentro e fora do país”.

A Duma Federal, é como se fosse equivalente à Câmara dos Deputados da Rússia, que estuda o projeto que foi criado em dezembro e que tem como finalidade de garantir o equilíbrio do funcionamento do segmento russo de internet.

O projeto tem total apoio do Kremlin, falam ainda que a proposta terá como utilidade de minimizará o fluxo de dados trocados entre usuário do país com exterior, mantendo uma concentração das informações dentro do território russo.

No esboço do projeto é citado ameaças da Otan e de seus aliados de punir a Rússia por meio de ataques cibernéticos e de diversas ações online.

A Rússia atualmente conta com 11 servidores raiz, e que já seriam satisfatórios para formar uma conexão segura para todo o território do país.