Pedidos de refúgio de venezuelanos em RR disparam e expõem a falência da ditadura de Maduro

nicolas-maduro-falencia

O tiranete bolivariano Nicolás Maduro é um irresponsável conhecido, que tenta esconder a grave crise político-econômica que sacode a Venezuela com discursos mentirosos contra o capitalismo e ações truculentas na seara dos adversários.

O modelo político criado pelo finado Hugo Chávez, outro delinquente que defendia com unhas e dentes o chamado “socialismo do século 21”, serviu de preâmbulo para a crise que agora leva os venezuelanos a deixarem o país para fugir da fome.

O número de venezuelanos que solicitaram refúgio em Roraima cresceu 22.122% nos últimos três anos, de acordo com dados divulgados pela Polícia Federal no estado nortista. Somente em 2016, mais de 2 mil venezuelanos foram à sede da PF em Boa Vista para pleitear a condição de refugiado.

A PF informa que em 2014 recebeu apenas nove solicitações de refúgio, enquanto que em 2015 o número saltou para 230, chegando a 2.230 em 2016. A disparada no número de pedidos coincide com o agravamento da crise que devasta a Venezuela.

Autoridades brasileiras preveem que em 2017 a quantidade de solicitações de refúgio Neste deve dobrar. Até este mês a PF já tinha agendado 4 mil atendimentos de pedidos de refúgio até outubro próximo.

O refúgio é um instrumento legal para estrangeiros que sofrem algum tipo de perseguição no país de origem, por razões de raça, religião, nacionalidade, grupo social e opiniões políticas, ou que são alvo de violação dos direitos humanos.

Desde 2016, a cidade de Pacaraima, na fronteira com a Venezuela, passou a receber um enorme fluxo de venezuelanos que ingressam diariamente no território brasileiro para comprar alimentos e produtos de necessidades básicas.

Contudo, muitos venezuelanos atravessam a fronteira para permanecer no Brasil, em especial em Pacaraima, mesmo que ilegalmente e em condições precárias. De acordo com a Defesa Civil do municipal, em agosto de 2016 havia 177 venezuelanos vivendo nas ruas da cidade. Em dezembro, a cidade decretou emergência na saúde pública por causa da situação.

Como se não bastasse, a grave crise econômica que derrete a ditadura comunista de Nicolás Maduro tem levado prostitutas venezuelanas a cidade brasileiras fronteiriças, chegando no começo da noite e retornando ao país vizinho no raiar do dia. Isso porque na Venezuela a crise fez desaparecer o dinheiro que alimentava a prostituição local.

Fonte: Ucho.Info