O primeiro dia de campanha na TV

 

FACEBOOKNesta sexta começou oficialmente o horário eleitoral em São Luís. Com duração de apenas 10 minutos, ficou evidente de que a diminuição do horário eleitoral prejudica o que, talvez, devesse ser o núcleo da campanha: a exposição dos candidatos.

Assisti a todos os programas e abaixo você pode ver comentários sobre e uma pequena nota, levando em conta apenas a qualidade técnica das peças, sobre os programas.

Wellington do Curso – Seguiu o manual e usou o primeiro programa para apresentar sua história. Texto introdutório comum, nada além do normal. Usou pessoas para ler um livro que narra sua história. Tirando o fato de que afirma que o candidato abriu um curso para “ajudar as pessoas”, foi bem. Quando decidiu falar diretamente, ficou evidente uma certa queda do candidato pelo lirismo. A fala do deputado ficou muito poética e pouco incisiva. NOTA: 7,0

Eliziane Gama – Outra candidata que optou por mostrar a sua história no horário. Eliziane inovou ao usar uma espécie de animação para mostrar suas origens. O tom subiu ao final do vídeo e conseguiu passar mais emoção. A candidata não falou diretamente ao público, o que causa certa estranheza já que a oratória e carisma de Eliziane no vídeo são apontados por grande parte das pessoas como seu ponto forte. O carisma ficou evidente. NOTA: 7,0

Edivaldo Holanda Jr – Dono da maior fatia do horário, a coligação de Edivaldo deixou clara a estratégia de tentar apagar a imagem ruim da gestão. Edivaldo enumerou vários de seus feitos durante os três anos e meio de gestão. Entre eles a iluminação pública e supostas melhorias no sistema de saúde. Edivaldo tentou posar como criador de dois projetos na educação que foram herdados do seu antecessor, João Castelo. O programa do leite na escola e as vias alternativas na cidade. Grande parte das moradias entregues pelo prefeito, ainda nos primeiros meses de sua gestão, também foram herança de Castelo. No mais, o prefeito não demonstrou a suavidade de 2012 nos vídeos. Apesar do discurso, Edivaldo acertou em cheio ao falar diretamente ao eleitor na maioria do horário político. Fugiu do manual e, sem dúvida alguma, apresentou tecnicamente a melhor propaganda. NOTA: 8,0

Fábio Câmara – Horário muito parecido com o de Eliziane Gama. Só que ao invés de animação, Fábio preferiu usar uma narração com reconstituições de sua vida. Finalizou o horário da mesma maneira de Eliziane Gama, com imagens de corpo-a-corpo. NOTA: 6,5

Demais candidatos – O tempo reduzido é um problema sério e uma barreira monstruosa a ser vencida. A maioria dos outros quatro candidatos (Zéluís Lago não enviou o programa) teve tempo apenas de falar o próprio nome. Ecos da nova legislação eleitoral que acredita na tese bisonha de que diminuindo a quantidade de exposição dos candidatos pode aumentar a qualidade da campanha.