Novo ofício confirma espionagem no Maranhão e deixa claro que não foi um ato isolado

Um ofício expedido nesta sexta-feira (20), pelo Coronel Zózimo, comandante do CPI, confirmou a suspeita de espionagem que estaria ocorrendo por parte da Polícia Militar no Maranhão. No documento, o Militar orienta a suspensão da aplicação do memorando datado no dia 6 de abril de 2018.

De acordo com o documento assinado pelo Coronel Zozimo, todas as unidades subordinadas ao CPI, que desconsiderem o memorando que orientou a espionagem de adversários políticos do governador Flávio Dino.

O documento prova que a fala do governador Flávio Dino não é verdade, uma vez que teria sido atribuído ao Comandante Marcus de Barra do Corda, um ato isolado.

Porém para piorar, outro documento expedido no dia 9 de março pelo Coronel Alexandre de Araújo Brito, originário de Caxias, confirma a solicitação de dados eleitorais.

Fica cada vez mais claro que a espionagem não foi um ato isolado, mas sim praticado de forma deliberada na Polícia Militar do Maranhão.