Maranhão já se livrou dos sarneys, São Luís irá se livrar do PDT?

facebook

Por longas décadas o grupo Sarney mandou e desmandou na política local. Hegemônico regionalmente e com forte influência em Brasília, a influência dos sarneys não resultou em avanços. O Maranhão ainda é um dos estados mais pobres da federação.

Se o comando dos sarneys serviu como uma espécie de corrente que impediu o desenvolvimento do Maranhão, o mesmo se pode dizer do PDT em relação a São Luís. Já são 27 anos de poder e nossa cidade figura entre uma das capitais mais atrasadas do país.

E tudo começou em 1989, com a primeira eleição de Jackson Lago. De lá para cá já se vão 27 anos de mando na capital maranhense. De lá para cá apenas no mandato de João Castelo o PDT não teve o prefeito. Contudo, mesmo no mandato do tucano o partido ocupou as maiores secretarias do governo municipal e manteve toda a estrutura anterior. Tanto que os secretários de transportes, educação e saúde de Edivaldo Holanda Jr foram secretários de João Castelo.

27 ANOS DE PDT NO PODER

Ver um prefeito do PDT se vangloriando de colocar algumas dezenas de ônibus com ar-condicionado no sistema de transporte de São Luís apenas evidencia o atraso político e administrativo do partido.

Em pleno 2016, quando prefeitos de outras capitais debatem a implantação de sistema de transportes modernos como metrô, VLT e BRT, o pedetista da vez anuncia que “nossos ônibus agora possuem ar-condicionado”.

Nos últimos 25 anos as grandes obras do PDT à frente da Prefeitura de São Luís se resumem a dois hospitais e alguns terminais da integração. Muito pouco para quem agora pede ao eleitorado mais quatro anos.

Culturalmente a capital maranhense São Luís é muito pior hoje do que a São Luís de 25 anos atrás.

Economicamente paramos no tempo desde os anos 1980. Tirando uma ou outra inciativa do comércio (Mateus, Ótica Diniz), nossa economia estagnou. Desde a entrada da Vale e da Alumar a cidade não recebeu nenhum outro empreendimento de grande porte.

Politicamente vivemos um regime fascistóide sustentado pelas verbas da Prefeitura. Todo e qualquer um que tenta se colocar entre o PDT e os cofres da Prefeitura é vilipendiado e atacado por uma militância profissional. Uma militância que existe sustentada por empregos fantasmas, contratos fraudulentos e aluguel de prédios públicos a preços muito acima dos de mercado.

A peculiaridade de Castelo

João Castelo foi derrotado pelo PDT várias vezes na disputa pela Prefeitura. Alvo de uma campanha de moer reputações avassaladora. Chegava perto e ficava pelo meio do caminho. Em 2008, quando sua vitória parecia inevitável, o PDT decidiu apoiá-lo.

Castelo poderia ter defenestrado o partido de sua gestão, preferiu mantê-lo. Três anos e meio depois lá estava o PDT conspirando contra o prefeito e ajudando em sua derrota.

As flores do mal

O PDT parasita São Luís de forma coordenada e impiedosa. Tanto que hoje existe uma classe de “novos ricos” na cidade que emergiu após familiares tornarem-se agentes do partido na prefeitura. A lista de “empreendimentos” é enorme…

São Luís é uma cidade atrativa única e exclusivamente por conta de suas riquezas naturais e cultura. Chega a ser emblemático o fato de que nossos maiores atrativos arquitetônicos tenham sido construídos por franceses, holandeses e portugueses. Para o bem da cidade naquela época não existia o PDT. Porque se existisse, o Centro Histórico estaria comemorando hoje a chegada de “ar-condicionado”.

Nada mais irônico de que Edivaldo Holanda Jr, apontado por muitos como o pior prefeito de São Luís, seja filiado ao PDT. Personificação maior não existe.

A bem da verdade, São Luís hoje é uma cidade refém de um grupelho político que apenas engessa seu crescimento. Após 25 anos de quase nada, de muito pouco, o partido pede ao eleitorado mais 4 anos.

A verdade é irrestrita e óbvia: as décadas de comando do PDT em São Luís foram tão paralisantes para a cidade quanto foram as décadas de poder da família Sarney no Maranhão.

O fato é que o Maranhão já se livrou dos sarneys, São Luís irá se livrar do PDT?