Mandante de ordem de despejo do Cajueiro financiou campanha de Flávio Dino

Dados do sistema de prestação de contas do Tribunal Superior Eleitoral mostram que a empresa WTorre, responsável pela construção de um novo terminal portuário e pela demolição de casas na comunidade do Cajueiro, na zona rural de São Luís, fez uma doação de R$ 252 mil à Flávio Dino para a campanha ao governo do Maranhão, em 2014.

Ainda durante o governo anterior, a empresa WPR São Luís Gestão de Portos e Terminais Ltda., pertencente ao grupo WTorre, conseguiu licença ambiental prévia para iniciar a construção do porto, além de um decreto de desapropriação das terras do Cajueiro. Por conta das manifestações contrárias da comunidade, em janeiro de 2015, recém-empossado, Flávio Dino cancelou o decreto de desapropriação.

A suspensão da licença prévia emitida pelo governador, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Maranhão, não evolui para o cancelamento. Nesta segunda-feira (12), várias famílias tiveram suas casas demolidas num processo de remoção autorizado por uma decisão judicial executada com tratores, gás de pimenta e a presença ostensiva de forças policiais.

O projeto do grupo WTorre é da ordem de R$ 1,5 bilhões a ser executado em parceria com o conglomerado China Communications Construction Company (CCCC). A estatal chinesa fatura mais de 60 bilhões de dólares anuais em nível global.