Janot denuncia José Guimarães por corrupção e lavagem de dinheiro; petista fala em “grande revolta”

SÃO PAULO – A Procuradoria-Geral da República (PGR) denunciou o deputado José Guimarães (PT-CE) pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro depois que investigações da Operação Lava Jato apontaram para envolvimento do líder da minoria na Câmara em desvio de dinheiro do Banco do Nordeste. O parlamentar é irmão do ex-presidente do PT José Genoino e teve um assessor preso com US$ 100 mil na cueca em 2005.

Segundo a denúncia, Guimarães recebeu R$ 97,7 mil em propina para pagar dívidas com uma gráfica e um escritório de advocacia. O dinheiro teria vindo de um financiamento concedido pela instituição financeira para construção de usinas eólicas pela Engevix. 

Segundo Janot, “a propina foi recebida em razão da atuação do parlamentar perante a presidência do Banco do Nordeste do Brasil, de sua indicação e sustentação política, para viabilizar a concessão de financiamento de acordo com os interesses da empresa Engevix”.

O Procurador-Geral da República pediu a condenação de Guimarães, a perda da função pública do deputado e o pagamento de R$ 1 milhão para “reparar os danos causados pela corrupção”. O ex-vereador de Americana (SP), Alexandre Romano (PT), delator da Lava Jato, também foi denunciado pelos mesmos crimes.

Outro lado

O deputado José Guimarães (PT-CE), ex-líder do governo Dilma Rousseff, negou hoje (20), ter intermediado negociação junto ao Banco do Nordeste do Brasil e de ter recebido dinheiro da Engevix.

“Quero reiterar, conforme venho afirmando desde o surgimento deste assunto, que jamais intermediei junto ao Banco do Nordeste do Brasil [BNB] quaisquer recursos para a empresa Engevix, nem pratiquei ato de natureza imprópria junto a qualquer instituição. Tenho a consciência tranquila de que nunca me beneficiei de recurso público, razão pela qual manifesto meu repúdio a todas as acusações”, disse Guimarães em nota.

Guimarães disse que mantém diálogo com várias instituições e atende a diversos interlocutores de todas as esferas. “Como deputado, mantenho diálogo com inúmeras instituições públicas, bem como atendimentos a diversos interlocutores de todas as esferas, conforme se pode acompanhar diariamente pela minha agenda, amplamente repercutida nas redes sociais e na própria imprensa. Prestei contas de todas as minhas despesas de campanha, que foram devidamente registradas e aprovadas”, disse em outro trecho da nota.

Segundo a nota, a acusação foi feita por uma pessoa sem credibilidade. “Encaro com grande revolta, mas também como oportunidade de provar minha inocência. E é isso que farei. Tenho como grande aliado o povo que me concedeu mandato, o qual honro diariamente com muito trabalho”, concluiu o petista.