Jair Bolsonaro recebe alta da Unidade Semi-Intensiva

O presidente Jair Bolsonaro recebeu alta na manhã de segunda-feira (11) da Unidade de Terapia Semi-intensiva, informou boletim médico divulgado pelo Hospital Albert Einstein. O presidente obteve melhoras do seu quadro clinico, mas continua internado, só que agora se recupera em apartamento no hospital.

O boletim ainda informa, que o presidente segue com melhora do quadro pulmonar, sem sinal de dores e febre. Bolsonaro, na última semana, havia sido diagnosticado com pneumonia, e com isso, a suspensão da nutrição endovenosa e introduzida dieta a base de suplemento nutricional e comida sólida leve.

Por questão de precaução, a equipe medica do presidente estão tomando medidas para prevenção de trombose venosa, e o presidente está se submetendo a realizações de exercícios respiratórios, de fortalecimento muscular e caminhadas fora do quarto.

As visitas ainda permanecem restritas. Na tarde de segunda-feira (11) João Doria, governador de São Paulo, visitou o presidente e na sua saída do hospital, informou que o presidente poderá ter alta ainda esta semana.

Otávio do Rêgo Barros, porta-voz da Presidência da República, infirmou que não há ainda previsão de alta para Bolsonaro e disse ainda: “A alta do presidente dar-se-á quando ele esteja em condições de sair do hospital, usando uma metáfora, pela porta frente”.

Mesmo internado, o presidente, manteve alguns encontros com alguns dos seus ministros, para tratar assuntos do governo. O presidente já recebeu visitas do ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública), Fernando Azevedo e Silva (Defesa), e Augusto Heleno (chefe do Gabinete de Segurança Institucional). João Campos, secretário de segurança pública de São Paulo fez uma visita de cortesia ao presidente.

Informou o porta-voz do governo, que na segunda (11), Bolsonaro autorizou o afastamento do país do ministro da Luiz Henrique Mandetta (Saúde), que participará conferência humanitária do governo interino da Venezuela, que ocorrera nos dias 12 a 15 de fevereiro, em Washington (EUA), informou o porta-voz.