Indignação seletiva do governador para tragédias semelhantes

Na cidade do Rio de Janeiro, domingo (7), o músico Evaldo Rosas dos Santos, 51 anos, foi morto numa operação do Exército, quando o carro em que se encontrava sua família foi confundido com o de bandidos que haviam atacado soldados da corporação. Evaldo era o condutor do automóvel e morreu no local.

No dia 15 de dezembro de 2016, Karina Britto, de 23 anos, estudante, foi metralhada na cidade de Balsas, em uma operação da Polícia Militar quando retornava com a irmã, Kamila, de um velório.

O segundo caso nunca foi esclarecido e não foi alvo de indignação por parte do governador Flávio Dino (PCdoB) e muito menos do seu secretário de Segurança, Jefferson Portela.

Já o primeiro caso mereceu indignação de Flávio Dino.