Governo precisará fazer política para a reforma da Previdência ser aprovada

O ministro Paulo Guedes venceu a primeira batalha da reforma da Previdência diante da resistência do presidente. Não obteve a igualdade que queria para os dois sexos, mesmo assim conseguiu um período de transição menor.

É necessário esperar para conhecer de fato, os efeitos da proposta do governo sobre a reforma da Previdência para os cidadãos e para as contas públicas.

O governo ainda é frágil em ter uma base parlamentar consistente. A tentativa do governo é de estabelecer negociações com frentes parlamentares do que tratar com partidos. O texto da reforma chegara ao Congresso nesta próxima quarta-feira.

Rogério Marinho, nome escalado por Guedes para tratar com os congressistas, até o momento não teve nenhum encontro com algum político para negociação.  A ordem do governo é não aceitar o que pedirem em postos no governo ou emendas no orçamento.

Especialista afirma que o presidente poderá exercer a mediação entre as diferentes alas de seu governo para obter apoio à reforma. E afirma que a reforma da Previdência só sairá se o governo souber fazer política.