Gestão no MA não ajuda projeto de Dino rumo à Presidência

A revista IstoÉ traz publicação em que aponta possíveis obstáculos que poderiam inviabilizar a candidatura do atual governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), à presidência da República. Segundo o exemplar, a gestão comunista “não é bem avaliada”.

De acordo com a publicação, “em cinco anos”, teriam sido executadas “poucas melhorias na saúde”. A revista lembra ainda que, uma das possíveis metas de Dino – a de manter a aliança com o PT e sua agenda – encontraria resistência no próprio partido que, historicamente, “é aliado tradicional do MDB”.

Segundo a IstoÉ, o governador “não estaria mais escondendo” de ninguém o seu desejo de concorrer a uma vaga no Planalto em 2022.

Relembre

No dia 22 de fevereiro deste ano (relembre aqui), durante plenária do PCdoB no Maranhão, Flávio Dino afirmou que “enfrentaria o laranjal”, ao se referir  ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) e à série de denúncias envolvendo o uso de candidaturas laranjas pelo partido dele nas eleições de 2018. O comunista disse ainda que estava se preparando para 2022.

Após críticas internas e da população, em maio – durante entrevista no programa Resenha, da TV Difusora, Dino disse que a candidatura não era verdadeira e que a frase dita anteriormente “se tratava apenas de uma brincadeira”.

Se a revista estiver certa, a “brincadeira” citada por Dino não passa de mais um blefe.