Funcionário da Vale são presos em investigação sobre Brumadinho

Sete funcionários da Vale foram presos na manhã desta 6ª feira (15), em investigação sobre o rompimento da barragem de Brumadinho, na Grande Belo Horizonte. Além disso, a Polícia Federal ainda procura uma oitava pessoa.

As prisões fazem parte de uma operação que ocorreu em Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro.

Segundo Makoto Namba, engenheiro da empresa alemã TÜV SÜD, declarou para polícia que foi pressionado por Alexandre Paulo Campanha, gerente-executivo da Geotecnia Corporativa da Vale, e um dos alvos da operação, para que liberasse laudo comprovando que a barragem estaria estável. Paulo Campanha foi preso em casa, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte.

Em 27 de janeiro, a justiça Estadual de Minas Gerais tinha determinado a prisão de 3 funcionários da Vale e 2 engenheiros da empresa. Em 5 de fevereiro a 6ª turma do STJ  concedeu, de forma unanime, habeas corpus e todos foram libertos. Não há informações se são os mesmos presos nesta sexta-feira.

Segundo o Ministério Público, os detido na operação são suspeitos em fraudar documentos que atestava a segurança da barragem.