Flávio Dino quatro anos depois

Em janeiro de 2015 Flávio Dino protagonizou um dos grandes momentos da política maranhense. Em uma cerimônia de posse histórica, o governador discursou para milhares de pessoas que compareceram espontaneamente ao Palácio dos Leões para saudar o novo governo. Passados quatro anos, foi necessário apelar para uma frota de ônibus e superestrutura para garantir, pelo menos, 1/4 do público de quatro anos atrás. tentaram salvar os números, porque o sentimento já pereceu faz tempo. O desprezo venceu a esperança.

Em 2015 o povo realmente tinha esperança em Flávio Dino e saiu daquela cerimônia mais esperançoso ainda. Em 2019 não fez sequer questão de comparecer. Falo do povo, de pessoas comuns que levaram seus filhos para aquele momento ímpar na política. De gente que vive “fora” da política, mas que queria estar dentro daquela posse em 2015. Momento ímpar e, infelizmente, estéril.

Falo do povo, não de bobalhões que parasitam a máquina pública e devem, por obrigação óbvia, aplaudir o governador e comparecer em peso quando convocados

Se a posse de 2015 marcou o começo, a posse de 2019 deveria ter marcado o sucesso. Ali deveriam se aglomerar milhares e milhares de pessoas como antes, só que não para saudar a esperança, mas para parabenizar pelas conquistas.

A posse de 2019 foi uma espécie de reciclagem de 2015. Uma reciclagem envolta na embalagem da mentira. Disse Flávio Dino em seu discurso que respeita e valoriza o setor privado. Ele, o governador do aumento de impostos para todos e dessa taxa imoral de 2% de ICMS para o Grupo Mateus.

Em todo o seu discurso não se percebeu em nenhum momento a opção pela prestação de contas. Flávio Dino não teve a capacidade de apontar seus grandes feitos, suas grandes obras, o seu legado para o povo. Apostou na submissão dos que o assistiam e falou de coisas que qualquer um pode falar. Falou de “amor”, de democracia, de liberdade… Generalidades completamente descabidas quando o que se esperava dele era o saldo concreto de seus quatro anos.

Em janeiro de 2015 Flávio Dio protagonizou um dos grandes momentos da política maranhense, não se pode negar. Em janeiro de 2019 ele deu o pontapé inicial rumo à decadência que tentará ser camuflada com muito discurso vazio e mentiras.

Deus tenha piedade do Maranhão.