Flávio Dino não será reeleito governador em 2018

Todos sabem como é difícil comandar governo de coalizão, de grandes interesses de grupos e partidos políticos. Vejam a presidenta Dilma Rousseff, com seu confuso acordo de vermelhos e laranjas, com sabor de corrupção. Golpistas ou não, será que o PT elege, ainda, presidente da República?

Este não é o caso, vamos voltar atenção para o Maranhão. Avisei no facebook ao governador Flavio Dino (homem probo e cheio de boas intenções), em 15/10/2015, que um cardeal governista falou que ele será governador de um mandato só. Disse: Vou alertá-lo para ter cuidado com o “filho do jornaleiro”, pois quem perde com isso é o Maranhão, que tanto precisa de ações políticas sérias, sem covardias e ranços políticos.

Passado o tempo, já em 2016, surgem descontentamentos de dois outros “cardeais”, Zé Reinaldo, que fala da grande insatisfação com o governo, pedindo DIÁLOGO e respeito com a classe política e Weverton Rocha, uma espécie de Julie Andrews, em “A noviça rebelde”, que vai ocupando vácuo e espaço político no desentendimento. Isto, sem falar no senador Roberto Rocha, que resolveu fazer uma trégua política, recentemente, com Flávio Dino.

Pergunto: quem está sendo desleal nesse novo ciclo político do grupo “Maranhão Novo”, com o lema “governo de todos nós”, comandado pelo governador? Não seria interessante, a bem dos maranhenses, fazer um DIÁLOGO MAIOR com o projeto político do passado, denominado “Novo Maranhão” e encabeçado, àquela época, pelo jovem José Sarney?

Juntando experiências, talvez surjam novos “ditados”, a serem feitos em prol do povo maranhense e do crescimento econômico do estado. Sendo propositivo, quero muito um diálogo verdadeiro, entre Flávio Dino e José Sarney, unindo juventude e conhecimento acumulado, e sem revanchismo. E viva a reeleição do nosso governador, superando toda e qualquer crise e com inteligência máxima.

AUTOR: Prof. Dr. Washington Rio Branco – Professor universitário, mestre em Políticas Públicas e doutor em Geografia, ex-secretário de Estado do Meio Ambiente e dirigente nacional do Partido Verde do Brasil.