Economista de Ciro deseja câmbio a 4 reais, ou seja, te deixar mais pobre

O economista Nelson Marconi (FGV) é um dos coordenadores do programa de governo de Ciro Gomes, pré-candidato à presidência da República pelo PDT. Marconi faz parte da Associação Keynesiana Brasileira (AKB) e integra o grupo dos pesquisadores do Centro de Estudos do Novo Desenvolvimentismo da FGV.

Como “bom” desenvolvimentista, Marconi defende uma velha saída para aumentar as exportações: elevar artificialmente o câmbio do dólar para algo entre R$ 3,80 e R$ 4,00, protegendo os empregos de quem trabalha no setor exportador e garantindo os lucros do baronato industrial que vive de exportações.

Quem pagaria por isto? Todos os demais brasileiros que perderiam bem-estar (renda) com o aumento dos preços de produtos e serviços importados, o aumento dos preços de produtos que concorrem com importados (os primeiros não teriam mais razões para manter os preços menores dado que os concorrentes importados custariam mais, reduzindo a concorrência) e o aumento dos preços de produtos industrializados nacionais cuja fabricação depende de máquinas e insumos importados.

Em outras palavras, o apoio a Ciro Gomes e seu programa “desenvolvimentista” significa duas coisas: ou você trabalha no setor exportador e quer garantir o seu emprego às custas de milhões de brasileiros, ou você tem um desejo masoquista de ficar mais pobre.