É oficial! Samsung revela qual foi a causa da “morte” do Galaxy Note 7

Assim como o prometido pela Samsung no dia 20 de janeiro, a gigante da Coreia do Sul usou o último final de semana como palco de um grande mistério. De domingo para esta segunda-feira, 23 de janeiro, a companhia enfim revelou o que causou a morte do Galaxy Note 7, por assim dizer.

Criando uma página especial para o assunto, dois problemas diferentes foram apontados. O modelo original e a variante de reposição sofreram com falhas diferentes. Quem acredita em azar pode até culpá-lo. Veja logo abaixo os detalhes de cada situação.

bateria

Bateria A, nome dado para a peça usada no Galaxy Note 7 original, ganhou dimensões muito grandes para o local reservado dentro do smartphone. Isto fez com que os eletrodos negativos fossem dobrados no canto superior direito do componente

Além disso, entrando para a lista de causas, houve uma falha de fabricação que colocou a ponta dos eletrodos negativos de forma incorreta na mesma curva. Esse mesmo material deveria ficar plano dentro da bateria, e não na parte redonda da extremidade.

bateria b

Bateria B foi utilizada pela Samsung nas unidades de reposição do Galaxy Note 7. Nela, a causa principal está ligada às rebarbas de soldagem dentro da área onde a bateria foi sobreposta. Pontas irregulares foram deixadas na superfície, furando a parte de baixo da peça.

Isso fez com que houvesse contato entre os polos positivo e negativo do componente, iniciando, portanto, o incêndio. Para “ajudar”, um número de baterias estava sem a fita isolante, necessária para assegurar que os polos não se encontrassem.

Em seu site oficial, Samsung assegura os fãs e clientes que o problema de bateria jamais acontecerá em seu portfólio. Para isso, a gigante da Coreia do Sul listou suas pretensões para colocar um fim nos incêndios. Acompanhe os planos a seguir.

  • Qualidade primeiro: processos de fabricação e montagem foram melhorados
  • Verificação de segurança da bateria em 8 pontos: protocolo extensivo para checar a qualidade da bateria
  • Medida de segurança feita em várias camadas: padrões de segurança relacionados à energia, desde hadware ao software, foram melhorados
  • Grupo de conselho de bateria: time de experts foi montado para analisar a engenharia por trás da bateria

Números divulgados pela Samsung

  • 3 milhões de exemplares do Galaxy Note 7 foram vendidos
  • 96% dos mesmos foram retornados (cerca de 2,8 milhões)
  • 700 especialistas foram reunidos para descobrir a causa dos incêndios
  • Mais de 200 mil unidades do Galaxy Note 7 foram analisadas
  • Mais de 30 mil baterias do Galaxy Note 7 foram estudadas

Galaxy S8 será o ponto de conversão para a Samsung, partindo de uma época tenebrosa em sua história a um período mais favorável. Ele deve ser apresentado depois da MWC 2017, sofrendo um reajuste em sua data de apresentação para evitar que novos erros aconteçam. Continuem acompanhando para saber mais.

Fote: Tudocelular.com