Dois anos após votar pelo impeachment, Eliziane Gama quer PT de volta

Em abril de 2016 a deputada federal Eliziane Gama (PPS) votou pela cassação de Dilma Roussef. Na ocasião, a deputada afirmou que votara daquela forma “pelo combate á corrupção”. Nesta segunda, apenas dois anos após a votação e já eleita senadora, Eliziane Gama declarou apoio a Fernando Haddad. Horas depois Eliziane foi desautorizada por um conselho de pastores que afirmaram por meio de nota que a deputada negou o que falou em vídeo.

Relembre o voto de Eliziane pelo impeachment:

Nesta segunda (08), pouco menos de 24h após ser eleita senadora e não se manifestar em relação à disputa presidencial, Eliziane Gama decidiu manifestar apoio pela volta do partido que um dia ajudou a tirar do poder.

Como justificativa, Eliziane Gama afirmou que sua decisão foi tomada em apoio ao grupo do governador Flávio Dino. A deputada, e futura senadora, afirmou que vai “orar” para que o povo brasileiro volte corretamente e reconduza o PT a Presidência da República.

Nem bem o apoio de Eliziane a Fernando Haddad foi declarado, e a deputada foi desautorizada pelo Conselho Político da Convenção das Assembleias de Deus no Maranhão. DE acordo com o tal conselho, Eliziane Gama falou apenas da coligação, mas não de sua intenção pessoal

Segue a nota:

Nota Utilidade Pública

Senhores pastores em nome do Conselho Político de nossa Ceadema queremos agradecer a todos que abraçaram nosso projeto. Em relação aos fatos ligados à coletiva da Senadora Eliziane, que ocorreu ontem após o resultado das eleições, informamos:

1. A Senadora foi infeliz ao afirmar apoio ao candidato Haddad;

2. Em conversa com a Senadora hoje, ela justificou que o partido e a coligação apoia o candidato citado, mas a pessoa dela não, reiterando assim, seu compromisso com a Ceadema e com seu projeto politico;

3. Amanhã teremos uma reunião com a Senadora, Deputado Federal, Pr. Gil e Dep. Estadual Mical, onde estaremos alinhando o posicionamento deles e da Ceadema contra o Haddad e a favor de Bolsonaro.

4.Faremos uma carta aberta à sociedade maranhense e as autoridades de nosso estado, declarando apoio ao Bolsonaro e nos alinhando à nossa CGADB;

5. Pedimos aos nobres pastores que não antecipemos juízo de valor contra a irmã Eliziane, pela primeira vez, tivemos a oportunidade de eleger uma Senadora da República. Nesses termos, agradecemos a compreensão de todos.

Coordenação Conselho Político da Ceadema

Para ser chamada de constrangedora, a situação da deputada ao se deixar tutelar de forma tão vexatória deve melhorar muito.

No mais, para quem acompanha a trajetória política de Eliziane Gama, a mudança de opinião não é uma surpresa. Ela foi crítica do falecido ex-prefeito João Castelo em 2011 e em 2016 teve no tucano o único aliado nas eleições municipais. Naquela mesma eleição, Eliziane acusou o prefeito Edivaldo Holanda Jr de abandonar São Luís. Neste ano contou com o apoio de Edivaldo na vitoriosa campanha ao Senado. O mesmo se deu com a ex-governadora Roseana Sarney.

Resta saber em quantos meses Eliziane Gama irá compor a base de apoio a Jair Bolsonaro caso ele seja eleito presidente do Brasil no próximo dia 28 de outubro.

Em quanto tempo você acha que Eliziane Gama irá se começar a elogiar Bolsonaro?

Ver Resultado

Carregando ... Carregando ...