Conglomerados esquerdistas farão um filtro ideológico de compartilhamentos de posts de brasileiros no Facebook

As agências Lupa e a Aos Fatos, duas supostas organizações de fact checking no país, firmaram um acordo com o Facebook que lhes permitirá julgar e sentenciar as notícias publicadas por usuários. Quando decidirem que o conteúdo publicado não os agrada, poderão então carimbar a postagem como suspeita e limitar o alcance da mesma. Um breve passeio pelos conteúdos produzidos por essas agências em notícias relacionadas ao Lula e o silêncio com grandes mentiras propagadas pelo PT tornam evidente a orientação política de seus integrantes.

Independente da preferência ideológica que sobressai nas postagens desses sites, está claro que tudo isso tem cara de censura, jeito de censura e modos de censura, mas não é censura puramente por um detalhe: o termo faz sentido quando aplicado ao controle arbitrário das informações por órgãos do governo. No século 21, onde as autoridades nacionais vão perdendo importância, o mesmo controle pode ser exercido por empresas privadas que têm o domínio da troca de informações pela Internet. Qual a necessidade em se controlar jornalistas e diversas empresas de comunicação quando é possível limitar os canais de propagação de seus produtos atuando sobre três grandes empresas de internet como Google, Facebook e Twitter?

As grandes companhias de internet já têm um longo histórico de perseguição a perfis que não são esquerdistas. Com esta medida, tomada em um ano de eleição presidencial em que as perspectivas para a esquerda são desastrosas, o bloqueio deve aumentar ainda mais.

Fonte: Reaçonaria