Comissão tira Coaf da pasta da Justiça

O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) foi retirado da pasta da Justiça e retorna ao Ministério da Economia, comandado por Paulo Guedes. A comissão mista que analisa a reforma administrativa do presidente Jair Bolsonaro (PSL) aprovou a medida.

É uma derrota para o ministro Sergio Moro, que passou os últimos dias em reuniões com parlamentares para manter o controle do Coaf. Vários parlamentares citaram Moro em seus discursos, ressaltando o empenho do ministro.

“O ministro Sergio Moro deveria fazer a articulação política do governo, porque ele virou uns dez votos aqui nessa comissão. Mas a mim ele não convenceu”, disse Elmar Nascimento (DEM-BA). “Tivemos uma boa conversa, mas eu expliquei a ele que seria uma decisão partidária”, completou Camilo Capiberibe (PSB-AP).

Foram catorze votos “Sim” e onze “Não”. Uma abstenção. A questão agora será analisada pelo plenário da Câmara dos Deputados. Depois, também passará pelo Senado.

Antes, a comissão aprovou o texto-base da reforma administrativa. Na pauta da reunião desta quinta-feira, 9, também está o destaque que pretende retirar a Fundação Nacional do Índio (Funai) da alçada da ministra Damares Alves e outro que determina qual pasta deve se responsabilizar pela demarcação de terras indígenas.