Com medo do MP, Beto Castro e Honorato fazem as pazes na Câmara

Os vereadores Beto Castro (Pros) e Honorato Fernandes (PT) não suportaram a pressão de saber que o Ministério Público começará a investigar a realização de supostos negócios com emendas parlamentares e decidiram tentar por panos quentes sobre a crise na Câmara Municipal.

O assunto veio à tona na semana passada, depois de os dois parlamentares trocarem acusações em plenário. Castro disse que Honorato lavou dinheiro com emendas . Por conta disso, o MP anunciou que vai apurar o caso.

Na sessão desta segunda-feira (10), estimulados pelo presidente da Casa, Astro de Ogum (PR), os dois vereadores decidiram encerrar a pendenga e fizeram as pazes.

“Tenho muito respeito por esta Casa. Nesta ainda curta trajetória política sempre primei pelo tom de conciliação e busquei sempre a conversa amigável como meio de solucionar os problemas. Por isso me desculpo com todos os meus pares e também com a nossa população pelo incidente da última quarta-feira”, declarou Honorato.

Castro também pediu desculpas a Honorato, à Casa e à população de São Luís.

“O episódio que aconteceu aqui nesta Casa foi lamentável. Fiquei indignado pela forma com que alguns veículos de comunicação trataram o caso, que muitas das vezes usaram o fato para denegrir a minha imagem. Mesmo assim, peço desculpas ao vereador Honorato, a esta Casa e à população de minha querida cidade pelo ocorrido na última quarta-feira”, assinalou.

Não tem volta

Apesar das retratações públicas e do clima mais ameno nesta segunda, as acusações já foram feitas de lado a lado. E o MP já começou a se movimentar para apurar as denúncias.

Ainda na semana passada, o Blog do Gilberto Léda revelou, com exclusividade, do que Beto Castro estava falando quando acusou o petista de lavar dinheiro por meio de emendas encaminhadas a um instituto.

“Tu recebeu R$ 1 milhão e porrada aí, rapá. Passou perna em todo mundo com essas emendas aí”, acusou Beto Castro, sem citar o nome da entidade.

Segundo dados do Portal da Transparência da Prefeitura de São Luís, o parlamentar do PT efetivamente encaminhou uma emenda de pouco mais de R$ 1 milhão para a um instituto.

Trata-se do Instituto Lógica, registrado em nome de Luiza Coutinho Gomes. Para lá, foi destinado o montante de R$ 1.041.600,00 “para Execução Do Projeto ‘São Luís Capital Da Alegria’”, em janeiro.

Além disso, fontes do blog na Câmara encaminharam farta documentação comprovando que outros R$ 548 mil que aparecem no Portal da Transparência também foram destinados à mesma entidade via emenda de Honorato.

Esses fatos, todos, já são de conhecimento do MP.