CGU detecta movimentações ilícitas nas contas da saúde de Timon

A partir da análise dos extratos bancários da conta do Fundo Municipal de Saúde de Timon, auditores da Controladoria-Geral da União constataram operações indevidas na ordem R$ 5,8 milhões.

O relatório obtido pelo Blog do Neto Ferreira mostra que entre 4 de setembro e 31 de dezembro de 2017 houve infringência ao que prescreve o Decreto nº 7.507/2011 e o Termo de Ajustamento de Conduta firmado entre o Ministério Público Federal, o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal e a Controladoria-Geral da União no que diz respeito ao compromisso firmado pela CEF em não permitir que “qualquer operação a débito dessas contas, para crédito a fornecedores ou prestadores de serviços, sem a identificação do destinatário por meio do CPF ou CNPJ”.

Ainda segundo o documento, foram movimentados irregularmente cerca de R$ 1.741.246,07 na conta específica da Atenção Básica em Saúde e R$ 4.145.469,63 na conta específica de Média e Alta Complexidade.