Carlos Bolsonaro mantém ataques a Mourão nas redes sociais

O vereador do Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro (PSC), filho do presidente Jair Bolsonaro, manteve durante esta terça-feira (23) os ataques ao vice-presidente Hamilton Mourão nas redes sociais. Só na terça foram três tuítes com críticas ao vice.

Mesmo após a manifestação do pai pedindo o fim da discussão, Carlos Bolsonaro voltou à carga na noite desta terça-feira (23) compartilhando duas reportagens com comentários do vice-presidente. Em uma, também de ontem, Mourão diz que “decisão do Judiciário não se comenta”, uma vez instado a se posicionar sobre a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no caso do tríplex, mas reduziu a pena imposta ao petista.

“Vale lembrar que o STF sentiu a pressão da internet e ruas ao analisar estranho caso de liberdade de expressão. Decisão se cumpre, mas também se comenta. Qualquer outra interpretação mais uma vez demonstra a paixão camuflada”, escreveu Carlos Bolsonaro.

Uma matéria de janeiro, quando Mourão criticou a chamada “despetização” promovida pelo ministro Onyx Lorenzoni na Casa Civil, foi usada na segunda publicação do vereador. Na época, o vice manifestou preocupação que a demissão em massa de funcionários da pasta sem que outros fossem contratados imediatamente poderia provocar uma paralisia parcial dos serviços da Casa Civil.

O comunicado lido pelo general Otávio Rêgo Barros, porta-voz da Presidência da República, que incentivou o fim da briga entre o filho e Mourão também deixou claro que “sempre estará ao lado” de Carlos, apesar de ter “apreço” pelo vice-presidente.

A mensagem através do porta-voz, assim, acaba ganhando contornos mais simbólicos e burocráticos, sem representar uma oposição concreta do presidente às opiniões manifestadas pelos filhos. Já que Bolsonaro não utilizou as redes sociais para falar sobre o assunto, como costuma fazer em temas em que possui posição mais enfática.

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo, também criticou Mourão e transferiu para o vice a responsabilidade pela crise. “O que tem causado bastante ruído são as sucessivas declarações do vice-presidente de maneira contrária ao presidente da República”, afirmou. Eduardo também criticou o fato de o general ter curtido uma publicação da jornalista Rachel Sherezade, em tom crítico a Bolsonaro, nas redes sociais.