Campanha de Holandinha parte para o tudo ou nada contra Eduardo Braide

reta-final

Braide passou a ser seguido por uma turba.

Os aliados do prefeito Edivaldo Júnior (PDT) decidiram jogar a sua última cartada nestes últimos dias de campanha em São Luís para tentar reverter a vantagem do adversário do PMN, Eduardo Braide.

Desde o início da semana, o deputado do PMN passou a ser seguido em todos os eventos por um grupo de militantes com o objetivo de criar tumulto por onde ele estiver.

A ideia é gerar fatos que possam desestabilizar Eduardo na reta final, para utilização no horário eleitoral. Ontem, por exemplo, o grupo tentou tumultuar pelo menos uma palestra do candidato.

Não dá para afirmar se estes “militantes” estão a serviço ou não do candidato do PDT; mas o prefeito é o principal beneficiário de uma eventual desestabilização na campanha do adversário.

O próprio prefeito também alterou o ritmo do seu programa, usando tom mais forte contra o candidato do PMN.

Eduardo tem participado ativamente de eventos públicos neste segundo turno, conversando com as entidades de classe e ouvindo as reivindicações dos representantes de vários segmentos.

Mas desde a última segunda-feira, 17, grupos de desconhecidos se alternam nestes locais para fazer  provocações, gerar tumulto e bate-boca, que possam ser usados no horário eleitoral contra o adversário de Edivaldo.

O candidato foi alertado ontem sobre os riscos de se expor nesta reta final.

A geração de tumultos é a última tentativa de Edivaldo de reverter a situação desfavorável nas pesquisas antes dos debates.

E o clima tende a ficar tenso na reta final da campanha.