Bolsonaro indicará juízes “duros com o crime”, diz Moro

O governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) poderá indicar, no mandato que se inicia em 2019, pelo menos dez ministros para tribunais superiores. O órgão no governo que tratará das indicações do Executivo é a Secretaria Nacional da Justiça, vinculada ao ministério que será chefiado pelo ex-juiz federal Sérgio Moro. Segundo o futuro ministro, a pasta deverá fazer indicações linha-dura.

“A ideia é sempre buscar magistrados que sejam independentes, íntegros, e que tenham também uma história profissional consistente com a política do governo. Ou seja, magistrados que sejam independentes, íntegros, mas duros contra o crime”, disse Moro nesta segunda-feira (17) no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), onde trabalha a equipe de transição.

Segundo o prazo em que os atuais membros se aposentarão compulsoriamente, dez ministros de tribunais superiores serão substituídos até o fim de 2022: dois no Supremo Tribunal Federal (STF), dois no Superior Tribunal de Justiça (STJ), dois no Tribunal Superior do Trabalho (TST) e quatro no Superior Tribunal Militar (STM).

Congresso em Foco