Jovens são presas no Irã por dançarem nas redes sociais

Quatro jovens iranianas foram presas pelas autoridades locais por utilizarem as redes sociais para postar vídeos ouvindo música pop norte-americana e dançando com roupas normais aos olhos ocidentais. No país, as mulheres são proibidas de dançar com homens em público, a não ser em eventos familiares, e uma lei as obriga a usarem “véu islâmico”, desde 1979.

Entre as presas, está à ginasta Maedeh Hojabri, de 17 anos. O canal de TV estatal do país chegou a veicular uma “confissão” da garota — que teria assumindo seus atos.

Depois de publicar seus vídeos, tidos como provocativos, Maedeh teve seus perfis do Twitter e do Instagram desativados. Mas logo eles voltaram a funcionar e ela tem se tornado uma inspiração para outras mulheres protestarem contra o uso do véu e outras imposições.

Desde o começo do ano, os iranianos já vêm discutindo a queda da lei de uso do véu islâmico e os protestos só aumentam. Com a prisão de Maedeh, outras pessoas vêm postando vídeos em que também dançam sem a vestimenta. De acordo com a BBC, seis garotas iranianas já receberam sentença de um ano de prisão e 91 chicotadas depois de serem condenadas em 2014, por postarem vídeos de si mesmas dançando ao som de “Happy”, de Pharrel Williams.

“Estou dançando de forma que as autoridades vejam e saibam que eles não podem tirar nossa felicidade e esperança ao prenderem adolescentes e Maedeh”, disse uma delas.