A virtude e a verdade

“A Verdade saindo do poço” (“La Vérité sortant du puits”), Jean-Léon Gérôme, 1896. Museu Anne de Beaujeu, Moulins.

Sheila Leirner

O grave problema dos que falam e fazem política hoje, tanto na esquerda quanto na direita, é exatamente o mesmo: preferem a virtude à verdade, ou melhor, submetem a verdade à ideia que eles têm da virtude e, portanto, são capazes de mentir para que a verdade coincida com a sua ideia de virtude.

Ora, quem é capaz de mentir não é o virtuoso que pretende ser. Não possui objetividade e humildade para reconhecer fatos reais. Enquanto votante escolherá mal o seu dirigente, enquanto político dirigirá mal o nosso país. E os dois juntos, acometidos por esta aberração mental e ideológica, manterão o caos no qual nos encontramos.

“A Verdade saindo do poço”, Édouard Debat-Ponsan, 1898.

Até a próxima que agora é hoje, hora de fugir da disputa polarizada que é mortífera!