Desemprego no Maranhão dobrou após 4 anos de Flávio Dino

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, a PNAD, sobre o primeiro trimestre de 2018 do mercado de trabalho no Maranhão trás um dado alarmante: o índice de desemprego no Maranhão dobrou durante o governo Flávio Dino.

De acordo com a pesquisa, no primeiro trimestre de 2015 a taxa de desemprego no Maranhão era de 8%. Já em 2018 esse número subiu para quase 16%.

Essa é a maior taxa de desemprego no Maranhão nas últimas décadas.

Os números mostram que a quantidade de pessoas desempregadas dobrou durante a gestão do comunista. Durante o governo de sua antecessora, Roseana Sarney, o maior índice de desemprego foi de 9%. Também foi registrada no governo anterior a menor taxa de desemprego dos últimos anos: 5% no últimos semestre de 2013.

Os números foram coletados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE, divulgados nesta semana. O estudo é realizado periodicamente em todo o Brasil e segue conceitos, definições e nomenclaturas de acordo com as recomendações da Organização Internacional do Trabalho – OIT, adotadas na última Conferência Internacional dos Estatísticos do Trabalho – 19ª CIET, realizada em Genebra, em outubro de 2013.

Antes que o governo e seus aliados falem o que todos esperam, cabe ressaltar que a OIT é uma organização respaldada pelo ONU e não possui nenhuma relação com José Sarney.

ACESSE A PESQUISA NA ÍNTEGRA AQUI.