Conheça a rede esquerdista que irá verificar a autenticidade de notícias no Facebook

Muitas pessoas se manifestaram nas redes sociais após o Facebook anunciar que as agências Lupa e Aos Fatos fariam um filtro do que pode ter um alcance normal na rede social e o que deve ser limitado. Para se justificar a essas pessoas, a Agência Lupa fez uma postagem em sua página e alguns posts no Twitter. Vejam esses abaixo:

Os critérios de checagem das agências são públicos e atendem aos requisitos da International Fact Checking Network ( @factchecknet ) — um dos quais é o apartidarismo.

— Agência Lupa (@agencialupa) 16 de maio de 2018

A avaliação externa atesta que cumprimos os princípios éticos da @factchecknet: somos transparentes quanto à metodologia de trabalho, quanto às fontes que usamos e quanto ao nosso financiamento.

— Agência Lupa (@agencialupa) 16 de maio de 2018

International Fact Checking Network? Do quê se trata? Fizemos uma checagem básica, inicial.

Tal ONG tem menos de 6 mil seguidores no Twitter (vejam na imagem abaixo) e não existe no Facebook. É associada a uma Faculdade de Jornalismo (Poynter).

A própria página no Twitter informa que a IFCN tem uma equipe de 3 pessoas. A altamente reputada organização que criou um padrão de qualidade seguido por quem vai filtrar suas publicações no Facebook conta com Daniel Funke, este rapaz abaixo:

O portfólio do jornalista em seu site destaca como grande reportagem uma em que ele retrata a luta de uma mendiga transgênero de 23 anos para dar a volta por cima. A reportagem pode ser lida neste link: http://www.latimes.com/local/california/la-me-transgender-homeless-youth-20160806-snap-story.html.

Em defesa de Daniel Funke, vale ressaltar que ao contrário dos profissionais da Agência Lupa ele não trancou seu perfil nas redes sociais. Ou seja, ele não tem vergonha de suas opiniões políticas do passado ou não precisa escondê-las. E lógico, neste ano não haverá eleição nos EUA.

Fonte: Reaçonaria