Vai chegar a hora: STF agenda sessão que decidirá futuro se Aécio

O senador Aécio Neves (PSDB) está na mira do Supremo Tribunal Federal (STF). No próximo dia 17 de abril, a primeira turma se reúne para decidir se torna o senador tucano réu ou não por corrupção e obstrução de Justiça.

O tucano foi acusado em junho do ano passado de pedir propina de R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista. Além disso, ele é apontado como suspeito de ter tentado atrapalhar os andamentos da Operação Lava Jato.

Aécio, como todos os outros réus da Lava Jato, com exceção dos delatores, alega inocência. Além de Aécio Neves, estão na ação Andréa Neves da Cunha (irmã do senador), o primo Frederico Pacheco de Medeiros e Mendherson Souza Lima, que é ex-assessor parlamentar do senador Zezé Perrela (MDB).

Segundo a denúncia da Procuradoria Geral da República, Aécio Neves teria pedido dinheiro por meio de Andréa Neves para, na sequência, beneficiar o grupo empresarial de Batista com favores políticos. A defesa alega que o recurso era para pagar advogados.

A decisão sobre a denúncia caberá aos ministros Marco Aurélio Mello (relator), Luís Roberto Barroso, Luiz Fux, Alexandre de Moraes e Rosa Weber. Se a denúncia for aceita, Neves passará a responder ao processo penal na condição de réu.