Nota de esclarecimento e pedido de retratação

Em outubro do ano passado eu produzi um áudio sobre alocação de uma escola na nas proximidades da Camboa. Na ocasião critiquei o secretário estadual de educação, Felipe Camarão. Esse texto/áudio visa prestar alguns esclarecimentos e desculpas sobre o caso.

Tenho muito orgulho de nunca ter, nestes mais de 15 anos de jornalismo, ter enganado meus leitores. Não deturpo fatos para atingir desafetos, não uso notícias falsas como arma para alcançar qualquer interesse pessoal. Tenho zelo, empenho e orgulho do meu ofício.

Contudo, isso não me impede de cometer erros. Na maioria das vezes quando permito que minha revolta pessoal em relação a alguns casos transcenda o aceitável. E isso aconteceu em outubro de 2017.

Ao tratar de uma locação de escola pelo Governo do Estado que colocou dezenas de crianças em um prédio de condições precárias localizado no fundo de um posto de gasolina, acusei o secretário Felipe Camarão de ser mentiroso e cafajeste.

Mesmo sabedor que minhas críticas se fundamentavam em fato público, que o Governo do Estado errou ao colocar aquelas crianças em condições indesejáveis, gostaria de me desculpar publicamente com o secretário Felipe Camarão por alguns dos adjetivos usados no áudio.

Confesso que este pedido foi movido por uma audiência de conciliação realizada no dia 28 de fevereiro. Contudo, durante a audiência, o secretário me informou de certo constrangimento.

Não foi minha intenção constranger Felipe Camarão enquanto pessoa, queria fazer isso ao homem público. Saber que meu trabalho tomou proporção diferente da almejada, me forçou a pedir desculpas pessoalmente a ele. Pedido que agora é tornado público.

Não me arrependo da denúncia, me arrependo dos efeitos que causaram os adjetivos usados. Reitero: não tive, não tenho e nunca terei a intenção de ferir ou constranger pessoas em seus fóruns íntimos.

Só que inconscientemente acabei infringindo um paradigma jornalístico que sempre prezei. A responsabilidade me obriga a me desculpar pelos efeitos dos meus atos, mesmo que eles sejam desprovidos de intenção.

Reitero minhas desculpas ao secretário e lamento que a forma com que fiz a denúncia contra o homem público tenha afetado Felipe Camarão em sua intimidade. Mais uma vez peço desculpas.

José Linhares Jr
Jornalista