Mortes em concurso da PM colocam em dúvida atestados de aptidão

Em menos de uma semana duas pessoas morreram após sofrerem complicações nos testes físicos do concurso da PM. A saber, os jovens Marcone Cordeiro e Daniele Nunes Silva.

Os casos levantam suspeitas sobre a condução do concurso e, acima de tudo, em relação aos atestados de aptidão física que devem ser apresentados pelos candidatos.

Se os responsáveis apresentarem os atestados das duas vítimas e evidenciado o cumprimento da exigência, os médicos responsáveis pelos atestados devem prestar esclarecimentos imediatamente.

Como duas pessoas, aparentemente inaptas, conseguiram laudos médicos que lhes asseguravam o direito de participar de atividades físicas que podem ter custado suas vidas?

Pode parecer prudência em demasia, mas isso me cheira a máfia de concessão de atestado médico. Aos organizadores do concurso cabe a imediata paralisação do evento. Os atestados devem ser averiguados e os médicos responsáveis pelos das vítimas devem ser chamados a dar esclarecimentos e comunicar se deram outros e a quem deram.