Na presente ordem social, o conservadorismo é a nova contracultura. Daí os ataques histéricos dos esquerdistas

Este vídeo de Paul Joseph Watson com tradução dos já famosos Tradutores de Direita, está muito interessante. Na verdade é uma analise sociológica e política de forma sintética e sem as complicações do linguajar acadêmico ridículo e pretensioso. Watson vai diretamente ao ponto no que concerne à denominada “contracultura” movimento que começou a ficar mais evidente nos anos 60 do século passado com o aparecimento do “hippies” e outras manifestações histéricas correlatas.

A contracultura é um movimento esquerdista destinado a banir por completo todo um conjunto de crenças e, sobretudo, valores morais que compõem a matriz cultural que deu origem ao mundo ocidental. A contracultura é portanto uma espécie de “guerrilha cultural” que opera principalmente por meio da grande mídia incluindo-se aí a educação (escolas e universidades), o cinema e as artes em geral com destaque para o show business. O objetivo é a comunização do planeta.

Tanto é que qualquer desses bobocas metidos a artista enchem a boca quando se referem à cultura. O texto dos Tradutores de Direita a respeito deste vídeo resume bem a coisa:

“A esquerda caiu em estado de anemia depois de sua grande conquista. Conseguiu difundir e subverter as bases culturais, de tal forma, que se tornaram a representação do establishment após dominarem as várias ramificações do poder e do discurso. Padronizaram comportamentos, implementaram idéias pautadas em utopias, e introduziram um código moral politicamente correto que foi sendo construído em cima de um castelo de cartas blindado por um discurso artificial. Seus discursos revolucionários e progressistas encobriam velhos mantras enfadonhos, que foram desnudados por um punhado de aventureiros que reagem como guerrilhas informativas dando corpo a um novo movimento social reacionário. E na presente ordem social, o conservadorismo é a nova contracultura”.

Trocando em miúdos, essa gente que vive ainda nos anos 60 do século passado há muito tempo já perdeu o discurso. As novas gerações já trabalham com outros conceitos e os verbalizam à farta pelas redes sociais. De fato é uma espécie de “nova contracultura”. Afinal a vida social, como o cosmos, é um eterno vir a ser.

O mais importante de tudo isso é que aos poucos as pessoas, principalmente as novas gerações, vão compreendendo que o “conservadorismo” guarda apenas o que é relevante e muda tudo aquilo que não presta.

O último recurso dos esquerdistas tem sido a tal diversidade bundalelê. Todavia a humanidade continua se reproduzindo em alta escala. Calcula-se em cerca de 7 bilhões os terráqueos, com estimava para 8 bilhões no curto prazo.

Sorry, esquerdistas. Mas vocês perderam a guerra.

Fonte: Blog do Aluízio Amorim